Sobre nós


O blog “Falando do B” tem como objetivo resgatar a história de um grande sucesso do Jornal do Brasil, o Caderno B. Os alunos da FACHA (Méier) desejam mostrar o início desse suplemento, a sua fase áurea, os grandes escritores e jornalistas que trabalharam no caderno e o quanto ele foi importante, visto que inaugurou uma área cultural até então inexplorada pelo jornalismo brasileiro. Os cadernos culturais se transformaram em objeto de desejo da maioria dos jornais depois de sua criação. O Caderno B foi o pioneiro e até hoje nós podemos curtir esse trabalho diariamente no JB.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

José Ramos Tinhorão


Amado e odiado na mesma intensidade, o crítico musical ganhou fama, principalmente, por atacar “quase unanimidades” do cenário brasileiro, como Tom Jobim e Chico Buarque e ser implacável com a bossa nova. Chegou mesmo a escrever que “Águas de Março”, de Jobim, não passaria de mero plágio. Mesmo despertando sentimentos apaixonados, Tinhorão, certamente, é um dos grandes nomes da crítica musical brasileira.

No ano de 1959, entrou no “Jornal do Brasil”, onde atuou como redator e colaborador dos “Cadernos de Estudos Brasileiros” e “Caderno B”. Ao assumir uma coluna controversa no jornal, entre os anos de 1975 a 1980, comprou briga com grandes nomes da MPB, chamando, por exemplo, de “boi com abóbora” um samba de Chico Buarque ou batendo boca com Paulinho da Viola.

Seu primeiro livro sobre a história da música popular brasileira foi escrito em 1966, “Música Popular: um tema em debate”. Ao todo, sua obra já chega a mais de 20 publicações. Durante sua vida, reuniu cerca de 6,5 mil discos de 76 e 78 rpm, que foram gravados e lançados comercialmente entre os anos de 1902 e 1964, e 6 mil LPs (long-plays ou discos de 33 rpm), com datas de lançamento entre 1960 e meados da década de 1990.
O seu acervo musical foi comprado pelo Institudo Moreira Salles e está disponível na internet. Tinhorão chegou a pensar em vender o seu material na rua, pois não encontrava compradores que se interessavam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário